Jogos e Danças

No dia 5 de agosto tivemos a abertura das Olimpíadas Rio 2016 e, para entrar no clima dos jogos olímpicos, iremos falar de algumas modalidades que tem a dança também como destaque. Mas antes vamos falar da cerimônia de abertura que contou com um lindo espetáculo de música e dança para contar a história do nosso país e de nosso povo.

Os ritmos nascidos nas favelas foram os que tomaram conta do evento como o samba, o passinho e o funk, e transformaram a cerimônia de abertura dos jogos Olímpicos em uma grande festa com a força arrasadora da cultura negra. A coreografia ficou por conta da coreógrafa Deborah Colker, uma das mais renomadas e premiadas bailarinas e coreógrafas da dança nacional.

fotos-exclusivas-abertura-antonio-milena-30-originalFoto: EBC

Voltando o foco aos esportes, vamos apresentar dois em especial que tem suas origens na dança, a Ginástica Rítmica e a Natação Sincronizada.

A ginástica rítmica, também conhecida como GR ou ginástica rítmica desportiva (nomenclatura antiga), é uma ramificação da ginástica que possui infinitas possibilidades de movimentos corporais combinados aos elementos de balé e dança teatral, realizados fluentemente em harmonia com a música e coordenados com o manejo dos aparelhos próprios desta modalidade olímpica, que são a corda, o arco, a bola, as maças e a fita.

Esse esporte desenvolve harmonia, graça e beleza em movimentos criativos, traduzidos em expressões pessoais através da combinação musical, teatral e técnica que transmite, acima de tudo, satisfação estética aos que a assistem. Surgida através dos estudos de Rousseau, assim como as demais modalidades, transformou-se durante o passar dos anos, sempre ligada à dança e à musicalidade, até chegar à União Soviética, onde se desenvolveu como prática desportiva, e à Alemanha, onde ganhou os aparelhos conhecidos hoje.

A ginasta precisa ter graça, leveza, beleza e técnicas precisas em seus movimentos para demonstrar harmonia e entrosamento com a música e suas companheiras, num ambiente de expressão corporal contextualizada inclusive pelos sentimentos transmitidos através do corpo. Fisicamente, é função desta modalidade desenvolver o corpo em sua totalidade, por meio dos movimentos naturais aperfeiçoados pelo ritmo e pelas capacidades psicomotoras nos âmbitos físico, artístico e expressivo. Por essa reunião de características, é chamada de desporto-arte.

shutterstock_152979779_editada2 (1)Fonte: http://www.brasil2016.gov.br/

Já a natação sincronizada ou ballet aquático é outro esporte artístico que inclui conceitos da natação, da ginástica e da dança, consistindo aos nadadores (indivíduos, duetos, trios, equipes ou combos) executar uma rotina sincronizada de movimentos elaborados e dramáticos na água, acompanhada de uma música.

Esse esporte exige habilidades de primeira ordem na água ao exigir força, resistência, flexibilidade, benevolência, arte e o sincronismo preciso, sem mencionar o controle excepcional da respiração quando estiver de cabeça para baixo na água. Desenvolvido na década de 1900 no Canadá, é um desporto executado quase exclusivamente por mulheres, embora haja alguma participação de homens.

Toronto 2015 Pan Am Games - Day 1 Women's Duet Synchro FinalFoto: Getty Images

A origem do nado sincronizado é um pouco incerta, acredita-se que ele tenha surgido de acrobacias simples na água e que com a evolução delas, teria originado o ballet aquático (um pequeno esboço do que hoje é chamado de nado sincronizado) essa modalidade dotada de extrema plasticidade de movimentos foi ganhando espaço, se aperfeiçoando, até se tornar um desporto oficial. Antigamente, o ballet aquático (como era chamado na época) era visto apenas nos intervalos de competições de natação.

Referências e fontes utilizadas: O Dia ( http://odia.ig.com.br/), Empresa Brasil de Comunicação S/A – EBC (http://www.ebc.com.br/) e Wikipedia (https://pt.wikipedia.org)

 

Entre em contato com a tribo:

email: tribomosaico@gmail.com

nossa página: https://www.facebook.com/tribomosaico

nosso site: www.tribomosaico.com.br

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 14 de agosto de 2016. Crie um bookmark para o link permanente.